sexta-feira, 17 de abril de 2015

Oficina de Cinema no NADE 2015

A Profª Mônica Fantin me convidou mais uma vez para dar uma oficina de cinema para seus alunos do NADE Cinema, Infância e Educação, no curso de Pedagogia da UFSC.
 
 
 Em dois encontros de cerca de 2h40, os alunos puderam conhecer um pouco mais sobre a história do cinema, os primeiros filmes, o início da linguagem cinematográfica e alguns grandes marcos como a vinda do som e da cor.
 
Em nosso segundo encontro, apresentei o Minuto Lumière, exercício proposto por Alain Bergala em seu livro "A hipótese cinema", referência importante nas pesquisas que envolvem Cinema e Educação, e exercício que venho trabalhando em diversos contextos educativos, com diferentes faixas etárias e níveis de aprendizado, como estes aqui e aqui.
 
Os alunos do NADE foram então desafiados a produzirem 1 tomada de alguma cena cotidiana com duração de 10 segundos, sem cor, sem som direto e com a câmera parada.
 
É uma atividade simples, mas com grande potencial para iniciar os alunos ao cinema, como afirma Bergala. Se o tempo passar, é preciso refazer a tomada. Se for gravada com a câmera do celular na vertical, também é preciso refazer. Exige concentração, planejamento prévio, experimentação, organização e disciplina, pois o tempo dado para gravação dessa tomada foi de apenas 10 minutos.
 
Reunidas as tomadas, editamos em coletivo no Windows Movie Maker projetado no telão e pudemos visualizar o resultado. Confira abaixo:
 
video

A atividade também é uma ótima oportunidade para trabalhar noções de edição com a turma.
 
 
E apesar do pouco tempo, foi possível perceber a diversidade de olhares sobre o espaço da universidade. As salas, o banheiro, a calçada, a (favorita) cantina e os corredores.
 
Se exibirmos esse vídeo nos próximos anos, teremos uma percepção semelhante aos vídeos dos Irmãos Lumière. Como era a universidade na época, como as pessoas se vestiam, o que faziam, o que comiam. E ao questionar os alunos se produzir imagens do cotidiano ainda era comum atualmente, os alunos apontaram o uso em reportagens e vídeos caseiros, como o caso das intercambistas portuguesas que enviam seus vídeos da estadia no Brasil para amigos e familiares.
 
Com a popularização dos smartphones, a cena cotidiana se tornou novamente protagonista, como ocorreu com a criação do cinematógrafo dos Irmãos Lumière.
 
Este foi o gancho para comentar sobre o documentário colaborativo "A vida em um dia" de Kevin Macdonald, que em parceria com Ridley Scott e o Youtube, convocou pessoas do mundo inteiro a enviarem imagens do seu dia, em 24 de julho de 2010, para produção de um documentário experimental que serviria como uma grande cápsula do tempo. 5000 horas recebidas e editadas para uma versão compacta de 1h30.
 
Confira o trailer:
 
 
Aproveitando nosso contexto e com pouco tempo, propus que os alunos pensassem em 12 tomadas, retratando sua rotina na universidade e coletivamente construímos um esboço para ser filmado em apenas 10 minutos.
 
 
 4 grupos ficaram responsáveis por fazer 3 tomadas cada um. Foi preciso agilidade, disciplina, organização, colaboração de equipes, produção de objetos, planejamento e execução. Habilidades fundamentais no contexto educativo e no próprio cinema.
 
Feita a edição coletiva no Movie Maker projetado no telão, os alunos puderam visualizar o resultado de seu trabalho. Confira abaixo:
 
video
  
Na socialização final, alunas comentaram que a experiência do fazer as fizeram ter mais vontade de experimentar a edição e a produção de imagens; outras que a experiência foi divertida e trouxeram um novo olhar sobre os bastidores do cinema; outros alunos comentaram sobre a diversidade de olhares e escolhas da turma para cada tomada; e como em tão pouco tempo foi possível produzir coisas bacanas, que poderão inspirar em suas práticas em sala de aula e trabalhos na universidade. 
 
Trabalhar com cinema é mágico, e com exercícios tão simples é possível promover uma iniciação e contagiar os alunos a se aproximarem cada vez mais do universo cinematográfico, minha grande paixão e motivação! =)

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Oficinas de Cinema 2015

Já faz 8 anos que atuo como professora de cinema na Escola da Ilha e muita coisa já rolou nessa experiência fantástica. Depois de anos com atuação intuitiva, nos últimos 3 anos, após a defesa do Mestrado em Educação (UFSC), com ênfase no ensino de cinema na escola, cheguei a uma abordagem possível para 'iniciar' os alunos ao universo mágico do cinema.
 
Acervo pessoal: fotos da oficina em 2014
 
Nas turmas de 8º e 9º anos, trabalhamos com o Primeiro Cinema, em suas 3 categorias: animação, ficção e documentário. E este ano, para começar a oficina, os alunos foram desafiados a pensarem em 3 takes de até 10 segundos, que respondessem às perguntas "O que você ama?", "Do que você tem medo?" e "O que você tem no bolso/bolsa?", retiradas do documentário colaborativo "A vida em um dia" de Kevin Macdonald (2010).
 
 
A ideia era experimentar o planejamento básico, filmagem e edição de cenas cotidianas, que poderiam ser inseridas num documentário que retrataria aspectos culturais (e locais) da turma.
 
Confira alguns dos vídeos:
 
video
Autor: Marcelo Schüler - 8º ano
 
video
Autor: João Pedro - 8º ano
 
video
Autora: Maria Eduarda - 8º ano
 
Ao socializarmos os vídeos editados, os alunos puderam perceber que em seu contexto, a maioria carregava celulares e fones de ouvido nos bolsos; muitos tem medo de insetos e a maioria ama seu computador pessoal, diferente de outros contextos culturais, econômicos e sociais.
 
Já no 1º do Ensino Médio, em aulas de apenas 50 minutos, os alunos estão sendo apresentados gradativamente à linguagem (persuasiva) da publicidade, em seus aspectos básicos, como:
 
Instituição/Marca - Produto/Serviço/Ideia - Objetivo - Estratégia - Público-alvo
 
E o primeiro exercício intuitivo foi a criação de um comercial de até 15 segundos, com uso máximo de 5 takes.
 
Confira dois exemplos produzidos:
 

video
Alunos: Paul, Gabriel Phillips e Vinícius
 
video
Alunos: Pedro Martins, Doni e Rafael
 
A ideia era que o exercício captasse o conhecimento intuitivo que os alunos já detém sobre esta linguagem, para que posteriormente possam desconstruí-la e reconstruí-la com um olhar mais crítico e aprofundado.
 
Os alunos também analisaram 3 comerciais no youtube, tentando decupar sua estrutura, ainda de forma intuitiva.
 
Confira um exemplo de análise:
 
Aluno: Pedro Martins - 2EM
 
Comercial escolhido:
 
Marca: Coca-Cola
Produto: Refrigerante de Cola
Objetivo: Vender o refrigerante
Estratégia: Mostrar como alguém é atraído pelo refrigerante no inconsciente, mesmo dormindo.
Público-alvo: Bebedores de refrigerantes, público geral.
Slogan: "Open Hapinnes" (Abra a Felicidade)
 
Já no 2º ano do Ensino Médio, também em aulas de 50 minutos, os alunos tem contato com a linguagem da fotografia e as regras básicas de composição visual.
 

Acervo pessoal: alunos do 2EM em 2014.
 
Este ano, num primeiro momento, os alunos foram desafiados a fotografarem temas com seu conhecimento intuitivo, e após socialização e análise das próprias fotografias, aprenderão aspectos básicos da composição visual, que gradativamente irá se incorporar a um olhar mais crítico e reflexivo diante do universo visual que os cerca.
 
Confira algumas fotos produzidas pelos alunos e seus respectivos temas:

Aluno: Gianluca - Tema: Cores

Aluna: Isabela - Tema: Folhas

 Aluna: Yasmin - Tema: Livros
 
 Aluna: Eduarda - Tema: Intervalo

Aluno: Marcos - Tema: Fuga